Páginas

segunda-feira, 23 de novembro de 2009

Gritos e Sussurros

Meu desejo desajeitado
Meu ensejo enjoado
Jogado a leões
Sermões moídos ao vento
Condoídos seres desolados
Trancafiados em seus próprios sótãos
Desarranjos os arcanjos
Arcam com a vida sem fé
Arcos infinitos
Barcos desatinos
Celestial amargura sem culpa
Mares atravessados
Bíblia obliqua distante
Gatos ensurdecedores
Madrugada madre madalena
Meu corpo sem cor
Meu copo sem vinho
Voa o ardor em asas de morcego
Gritos e sussurros bestiais
Velado o poema fúnebre
Descarto qualquer cartografia
Caligrafia de Deus nas horas
Acato o bandido divino
Serpente que jaz sobre minha cama
O pesadelo pesa minhas pálpebras
Minha alma disforme
Meu espírito diz fome
E noite se fez assim.

Um comentário:

irreverente, Eu; disse...

"Meu corpo sem cor" -
mandou bem nisso.

como se vc traduzisse o que eu queria dizer em algumas horas.