Páginas

sábado, 14 de novembro de 2009

Camisa Preta

-Você não esta com calor com essa camisa preta?
Foi à primeira pergunta que me fez ao me ver, parado a sua frente, como quem se ajusta bem a frente do sol.
-Não estou nem um pouco,fazia tempo que não saia de casa,não lembrava como o tempo estava tão quente,e de como odeio o sol,fora,que foi a primeira camisa que encontrei no armário.
Disse isso,sem a encarar,sem se preocupar se soaria descompromissado ou não,verdade ou não,ele já não ligava em ser sincero.
- É você sempre foi estranho,nessas coisas de sentir,nunca sentia calor,nem sede,nem fome,nem amor,é como aquela musica do Arnaldo Antunes sabe?Socorro.
-Ah eu achei graça do seu comentário,já é um começo não é?Eu não sei,era como se eu sempre estivesse com essa camisa preta,era como vendar os olhos de alguém que já não enxerga sabe?inútil.
-É,esta na hora de você aposentar essa camisa preta,não acha?
-Talvez sim,ou talvez esteja na hora de não sair mais no calor.

3 comentários:

Clara disse...

é como se você tivesse um mundo próprio totalmente alheio ao exterior, desse modo, uma venda não faria diferença nenhuma, pois ela só te impediria de estar conectado ao mundo normal, o mundo compartilhado, uma vez que o seu mundo estaria todo na sua mente.

Bruna disse...

hahahaha, gstei. 3elo final!

juliana disse...

que oriveu