Páginas

sexta-feira, 22 de outubro de 2010

É de papel

Ao contrário do que diz a música
o meu coração é de papel
e se recicla a cada vez que é jogado no lixo
a cada amor insustentável
hoje ele se encontra em uma folha em branco
pronto para ser preenchido.

6 comentários:

ALINE VITORIA disse...

Quando se grita sob pressão: onde está o amor?

(...)

Quantos(as) se aproveitariam de um coração partido?

(...)

Quem poderá nos defender?

(...)

Como?

yara b . disse...

eu tenho caneta.

:)

Carol disse...

eu ia até comentar aqui...
mas deixa pra lá!

=X

Clara disse...

acho que o meu é um guardanapo desses de restaurante

nydia bonetti disse...

Acho que são assim, os corações dos poetas. :) abçs.

Anônimo disse...

Eu tenho borracha.