Páginas

quinta-feira, 26 de junho de 2008

As avessas

Expõe sua dor
A informalidade da histeria
As condições da tristeza

Mostra para mim seu choro
Os importunos segredos da noite
Arranhe-me com seus pecados
Faça-me sangrar com suas invenções

Grite as avessas
Troque o esconderijo
E tire de mim o absoluto silencio.

Pregue as verdades
Distraia o medo
Suspende toda negação

E crie em mim
A única possibilidade mórbida

Fuja, corra
Enlouqueça sem seu travesseiro inanimado.

Escreva todas suas maldades
Pinte e borde sua fraqueza
E crie em mim, a única possibilidade viva.

Um comentário:

Larissa disse...

preciso mesmo de alguma possibilidade mórbida.

http://jardimdainsanidade.wordpress.com