Páginas

quinta-feira, 12 de junho de 2008

Hoje


Hoje cada garota segurava uma rosa, com semblante feliz, e olhar realizado. Hoje a floricultura vendeu amor,desejo,paixão,vendeu mais que qualquer outro comercio,mas só hoje.Hoje vi casal de velhinhos reacenderam a chama,voltarem a serem jovens em beijos que duravam mais que 2 minutos,mas,selinho é claro.Hoje vi garotos e homens,carregando embalagens coloridas embrulhando lembranças e pensamentos,vi a solidão sem par,balançando a mão no ar,vi objetos caros,e o amor raro,vi o dinheiro comprar o amor,e o amor socializar as pessoas,mas hoje,só hoje.Hoje pude ver o coração de cada um,com os meus olhos tomados pelo espírito do dia,em uma espécie de raio x,vi todos,olhava por dentro de todos os peitos,o coração que se acalmou por tantas outras datas,bater em disparada.
Hoje pude ver, e sentir que em cada casal, havia certo altruísmo e uma necessidade de fazer o bem ao outro, por algumas horas ou ate meses, o egoísmo e ingratidão, foram esquecidos, mas hoje só hoje.
Hoje vi congestionamento nos correios,as cartas foram reutilizadas e os e-mails eram enviados a cada segundo,hoje parecia que todos os pedidos de casamento foram feitos,e que parecia ser greve de todos os amores contrariados,mas só hoje.
Hoje aquela noiva abandonada no altar,ah hoje aquela noiva foi lembrada,hoje só não foi lembrado quem nunca amou,e só não foi esquecido quem nunca foi amado,mas hoje dia 12 de junho,só hoje.

2 comentários:

mah_sefrian disse...

meudeusdocéu você é o melhor escritor cara, deu pra ver todas essas cenas, fiquei boba,
deu pra ver todas as cores, todos os amores, passou tudo na mente e foi ótimo, tive prazer em ler isso.
Parebesn meu amor, te amo muito

Uma Elisa disse...

Que baita texto mesmo.
Lindissimo e de uma qualidade de observação ímpar.
Porém no dia 12 tu viu tudo isso?
E hoje? Uma semana depois? O comércio não está lucrando e nem o correio inflou-se de cartas.
Pena, né?

Parabéns. Belo post :))

(te linkei no meu blog novo)