Páginas

segunda-feira, 3 de outubro de 2011

Olhos Distraídos

Você diz que meus olhos são distraídos, mas o que eles olhavam quando apoiados em encantamento? Quando ancorados em tuas pernas? fincados em teus seios, como uma conquista promissora. Minhas retinas ainda traduziam a beleza que se despia em um piscar, minhas retinas ainda dublam o corpo que atuava em cima do meu. Minhas Pupilas reconheciam a luz do teu corpo em si, da praticidade da tua boca, do conteúdo de suas mãos, essa luz que entrava em seus órgãos, do orgasmo que se transformava em tempo e espaço. E era só o reflexo que detinha a cor que passava em nossos corpos. Os meus olhos que já abandonavam suas casas e a olho nu, percebiam a despedida dos teus pés que caminhavam em detrimento a minha saliva, e a despeito do meu colo. A água caia, enquanto meus olhos se fechavam, você se banhava, enquanto meus olhos compreendiam e organizavam todas as profusões, da água, do cheiro, do apelo. E depois aquele teu corpo que saia, envolto há uma necessidade fisiológica, era o mesmo corpo, mas sem devaneios, era o mesmo corpo com aqueles meus mesmos olhos fincados em teu coração. Aos poucos você se vestia, e a cada peça, meus olhos já quase reconhecendo os seus, se distraiam em descanso, mas nunca, nunca te perdiam de vista, se eles em algum momento se mostraram indiferentes a sua presença, foi por pura falta de espaço. Você ao pé da cama, se maquiando, incitava meus olhos a vestirem tranqüilidade.

2 comentários:

Nathane Dovale, disse...

eu te amo (:

Roberta Galdino disse...

olá
encontrei seu Blog e gostei muito
estou te seguindo..
me visita
e segue se quiser
beijos

http://rgqueen.blogspot.com/