Páginas

terça-feira, 23 de novembro de 2010

Minha vida sem mim

Meu sorriso nunca vai ser maduro o suficiente para virar choro,nem meu corpo se tornara anjo,enquanto tiver o desejo repreendido da sorte.O tempo desmistifica a vida,meu relogio marca o atraso dos seus beijos,incomprendido retomarei o caos,costurando um novo crucifixo em minhas costas,tão largas quanto caretas.O caminho mais longe que alguém pode ir,é além do próprio ego.Não há mais espaço para conteudos,sentimentos disformes,amorfos,tartarugas sem cascos em busca de abrigo.Todos nos somos balas perdidas,abandondos por disparos sem queixas,eu ainda rezo para ser encontrado antes de morto.Meus temores são terremotos embaixo de minha pele escassa,eu quase vejo meus ossos,pois há muito tempo faço greve de sonho.Não me deixo levar pelo mar,mas não faço pouco caso da liberdade.Eu ofereço meus dentes para quem quer minha lingua.Por hora eu me dou bem com a vida,daqui a uns anos a vida se dará por completo,sem mim.

Um comentário:

irreverente, Eu; disse...

Nossa, ficou sensacional Iuri. mais um pra lista dos preferidos =]