Páginas

quarta-feira, 30 de dezembro de 2009

Sem nexo

Minhas palavras transitam entre vaidade e obsessão, em um labirinto de fraqueza, corrompido pela própria escolha infeliz de ser alguém melhor, elas se perdem em justificativas baratas, disparam disparates a todo redor, movendo o corpo, ilustrado por míseras promessas antigas, confina em ti, a funesta cumplicidade de ser humano, e traz consigo a intragável ideia da fortuna estima. O pensamento flui,flácido,como uma possibilidade remota da vitória.Eu já estive perto da felicidade,e ela pareceu menor,quando a comparei com seus olhos,amiúdes perolas negras que desavisa o mal humor da vida,que desanuvia,que desnuda,que desvia o jogo lógico do amor,desafiando assim as contradições importunas do perecer romântico. Minhas palavras exageram no sentimento, possuem algo de mistério e paixão, trilha um caminho sem volta, côncavo, convexo, talvez seja tudo, sem nexo.

Um comentário:

robservando disse...

Se tem nexo pra você é o que importa. Aprendi isso com o tempo.
Beijo menino do cachecol!