Páginas

quinta-feira, 8 de julho de 2010

Estranho não te ter.
sentir falta da tua raiva
dos seus dentes
Era o ranzinza mais querido
O rabugento mais amado
Estranho não te ter
o ar perder o balançar de seu rabo
e eu perdi o ar por andava.
O vazio me paralisa
e eu nao sei me comportar na tristeza.

Um comentário:

irreverente, Eu; disse...

Não há como se comportar na tristeza... se tiver, me avisa também ):