Páginas

domingo, 10 de março de 2013

O pior erro


Erro de tentar entender o erro
E sofro ao tentar entender o sofrimento
Tanta confusão na cabeça, tantos pensamentos
Eu afastei todos de mim
Eu não sei o que busquei a vida toda
Mas parece que estou  longe de conseguir
A minha vida  inteira foi uma luta para combater maus pensamentos
Para tentar tirar a tristeza que mal cabia em mim
Acho  que me perdi entre ego e valorização
Eu não queria afastar ninguém
Eu sempre errei a hora
Pensei em mim quando era hora de pensar nos outros
E pensei nos outros quando era hora de pensar em mim.
Melhor dizendo, eu nunca soube como pensar em tudo ao mesmo tempo.
E o tempo para mim nunca me disse nada
Minha personalidade congelada desde o berçário
Fazendo de mim um eterno imaturo.
Um passo para frente e eu estrago a vida
Sempre essa linha muito frágil
De que uma palavra ou uma atitude coloca tudo a perder
Sinto –me  sólido mesmo no sentimento mais concreto.
Minha injustiça é o impulso do meu fracasso
Em nunca saber lidar com meu ego
Sempre me frustrando por não aceitar a felicidade
De maneira tão fácil.
Desaprendi o tempo, desaprendendo assim a vida.
Eu quero dar um passo certo
Quero de uma vez por todas
Ser um todo.

3 comentários:

Marcela Brunelli disse...

"Eu não sei o que busquei a vida toda
Mas parece que estou longe de conseguir"

Adoro quando poemas fazem a gente perceber que não está sozinho no mundo.
Parabpens pelo texto. Não tenho autoridade nenhuma para isso, mas sinto que vc amadureceu bastante na escrita.
Parabéns mesmo!
Um beijo

Elida Lucio disse...

"Eu sempre errei a hora
Pensei em mim quando era hora de pensar nos outros"

Esse trecho pereceu demais comigo, espero que você continue escrevendo!
Parabéns pelo bonito trabalho!!!
Beijos.

Fanzine Episódio Cultural disse...


“IX CONCURSO PLÍNIO MOTTA DE POESIAS”

A Academia Machadense de Letras (Machado-MG / Brasil) comunica a realização em novembro de 2013 de seu “IX Concurso Plínio Motta de Poesias”. As inscrições encerram-se no dia 14 de outubro (2013).
Para receber gratuitamente o regulamento em arquivo PDF, e outras informações, entre em contato através do e-mail: machadocultural@gmail.com

Obs: O tema é livre e aberto a todos de Língua Portuguesa e Espanhola. A taxa de inscrição é de R$5,00 pode ser enviada dentro do envelope. Favor verificar o recebimento do regulamento em pdf e jpeg.
O concurso será realizado no dia 09 de novembro, às 20:00hs no Anfiteatro da Prefeitura Municipal de Machado-MG.

Caso sua poesia (que não precisa ser inédita) seja classificada e você não puder aparecer, a Academia indicará um membro para declamá-la.