Páginas

terça-feira, 10 de maio de 2011

Culpa vã

Um pouco de sonho, e te abraço
como desejo quebrado, me aproximo
redescubro a culpa, perto do seu rosto
que gela o meu
surpreso com teu beijo, me desprendo do futuro
depois de dias, teus olhos ainda atras dos meus
teu coração a frente do meu
e teu corpo, teu corpo não sei aonde está
meu peito afora, é amor.

Um comentário: