Páginas

segunda-feira, 22 de março de 2010

Drummond

Pedro era companheiro da solidão
Joyce andava de mãos dadas com o isolamento
Certo dia, Pedro conheceu Joyce
E Joyce se encantou com Pedro
Pedro se encantava com jazz
Joyce passou a cantar jazz
Pedro cantava a atriz daqueles filmes franceses
Joyce começou a assistir Godard
Um dia Joyce conheceu Márcio
Que era vegetariano, gostava de folk e de literatura Russa
Os dois casaram
Certo dia Joyce se lembrou de Pedro, e não entendeu
O porquê havia namorado ele
Já que ele era carnívoro, odiava Bob Dylan e só lia auto-ajuda.

8 comentários:

Marcela Brunelli disse...

Ah, as pessoas se perguntam isso, mtas vezes. Não tentar entender o pq de erros/acertos passados com olhos contemporâneos é sempre uma boa pedida. Quando eu conseguir fazer isso, te explico melhor!
Bjinhos
PS: ótimo texto parafraseando Drummond! =D

Erica Vittorazzi disse...

É a carência, meu caro Iuri, a carência...

Douglas Padilha disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Douglas Padilha disse...

Muito bom!

Quando eu chego a esse estágio me sinto bem. Essa dúvida pelos erros do passado não chega nem perto do tormento que é viver apaixonado por alguém que não tem nada a ver com você.

Clara disse...

HAHA, maravilhoso!

Barbara Moraes disse...

Pessoas influenciam outras. É um ciclo vicioso.. é necessário.

...Du... disse...

Aí vc embaçou mestre auheauhaehea..
Muito bom, gostei... !!

Yasmin Souza disse...

muito bom Iuri..
realmente é assim mesmo né =/