Páginas

quarta-feira, 3 de fevereiro de 2010

Hoje a música não tocou
Então meus olhos se cegaram até a minha boca ficar fria
Até a minha boca, despertar a sede da loucura de suas notas
Tão desconstruídas.
Fecha-se poço da inteligência, infantilizando o céu que me protegia
Até o erro se tornou dúvida
E o equilíbrio, virou pó de café.
Eu tive que emudecer o desespero, criando em mim o grito na alma
Eu tive que me afogar no narcisismo para suprir sua falta
Hoje o rio secou
Ensurdeci até meu coração parar de bater.

6 comentários:

Allyne Araújo disse...

lindo! beijos!

Mariah disse...

afogue o desespero até a morte absoluta, caso contrário, quando menos você esperar...ele vai surgir novamente!

Marcela Brunelli disse...

Quando a alma grita o coração sufoca. E isso dói.

yara b . disse...

das coisas mais bonitas que eu já li.

Yasmin Souza disse...

"e até o erro se tornou duvida" Gostei muito.

irreverente, Eu; disse...

um dos melhores, fato.