Páginas

quinta-feira, 24 de maio de 2007

Simbolismo

Hoje descobri que o meu penar, é simbólico demais para entender.
Que minhas superstições eram devastas desculpas para eu não enxergar o destino.
Que o acaso era metamorfose, sempre se transformando em novas paixões, e que o tempo não faria tanta diferença se realmente fosse amor.
Descobri que tenho náuseas de saudade, e que o que eu sempre achava que era felicidade, era apenas atenção. E que toda restrição e regras,são abastecidas pelo medo.
Que a rotina é pretensão da vaidade, embora a vaidade sempre seja traída pelo egoísmo.
Descobri que o que nos guia é apenas idéias ilusórias de que ficar parado seja pior
E que as risadas quase sempre são pra disfarçar algum rancor, causada pelas risadas dos outros. Só hoje descobri que tentar viver com alguém do lado,é admitir que somos mais só do que pensamos.Que não há instruções para ser sincero,e que toda essas bobeiras são ditas quando estamos todos inertes a carência.E estar inerte a carência é estar de braços abertos as condições impostas pelo amor,por pior que sejam.

Um comentário:

yara b . disse...

"e que o tempo não faria tanta diferença se realmente fosse amor"

eu precisava ler essa frase!